Fale conosco pelo WhatsApp

Saiba quais são os diferentes tipos de criolipólise

mulher passando por procedimento de criolipolise
Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)
Por: Publicado em 23/02/2022

Congelar as células adiposas para eliminar a gordura localizada e melhorar o contorno corporal. Para atingir estes objetivos, a criolipólise pode ser feita de diferentes maneiras

A criolipólise é um tratamento estético que visa promover a redução da gordura localizada – aquela difícil de ser eliminada com dietas e exercícios – por meio do resfriamento controlado das células adiposas, que são intolerantes a baixas temperaturas.

Trata-se de um método não-invasivo que visa melhorar o contorno corporal – não é um tratamento indicado para quem deseja ou precisa reduzir uma grande quantidade de gordura.

Além disso, ele não deve ser considerado como solução única para perda de peso, ou seja, para que bons resultados sejam alcançados é preciso aliar à criolipólise à prática regular de exercícios físicos e à alimentação balanceada.

Estudos mostram que a redução de medida da área tratada pode chegar a 20%-25%, mas esses resultados variam de pessoa para pessoa.

Partes do corpo que podem ser tratadas com a criolipólise

O tratamento pode ser realizado em diversas partes do corpo, como:

  • Abdômen;
  • Flancos;
  • Cintura;
  • Costas (gordurinha do sutiã);
  • Parte interior da coxa;
  • Culote;
  • Braços;
  • Papada.

Tipos de criolipólise

Existem quatro tipos de criolipólise: convencional, de contraste, reperfusão e de preparo. Entenda melhor cada um deles.

Criolipólise convencional: esse tipo de criolipólise é o mais comum. Ele possui um sistema de sucção a vácuo que atua juntamente com o resfriamento no local tratado, gerando cristalização e em seguida a morte do tecido adiposo.

Criolipólise de contraste: essa técnica inclui períodos de calor no início e no final do procedimento para aumentar a cristalização e consequente destruição de um número maior de células de gordura

Criolipólise de reperfusão: neste tipo de criolipólise, o aquecimento é incluído somente no final do procedimento. Isso favorece a reperfusão/recuperação do tecido, com melhora de resultados por indução de danos adicionais aos adipócitos do local tratado.

Criolipólise de preparo: inclui o aquecimento apenas no início do tratamento. Neste tipo de criolipólise, o objetivo é aumentar a maleabilidade e favorecer a sucção, pelo aplicador, dos tecidos mais compactados.

Independentemente do tipo de criolipólise, como todo procedimento estético, este também pode apresentar riscos. Por isso é importante que, ao procurar por este tratamento, por mais que ele não seja invasivo, o paciente tenha confiança no profissional e no aparelho utilizado.

Existem diversas opções no mercado, mas é preciso estar atento e observar se se trata de um equipamento aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Um dos mais confiáveis, independentemente do tipo escolhido, é o CoolSculpting®, que atende aos padrões de segurança e às exigências da Agência.

O aparelho possui um dispositivo de resfriamento controlado que é projetado com medidas de segurança embutidas. Caso os sensores detectem que a pele está ficando fria demais, o sistema para de funcionar automaticamente.

Cuidados pré e pós-procedimento

Seja qual for o tipo de criolipólise recomendado pelo seu médico, geralmente não são necessários cuidados específicos antes e depois do procedimento. Não é necessário realizar exames laboratoriais para se submeter ao resfriamento. Também estão liberados exercícios físicos e alimentação normal na véspera da sessão. Ao todo, o procedimento demora cerca de 35 a 45 minutos em cada área tratada, sendo possível realizar o congelamento em mais de uma região do corpo sem riscos.

O paciente é liberado para retomar suas atividades imediatamente após a sessão. Embora não exista recomendação de cuidados específicos para se recuperar do procedimento, algumas medidas podem acelerar o alcance dos resultados esperados. São elas:

  • Manter a regularidade dos exercícios físicos, que melhoram a circulação sanguínea e favorecem a metabolização da gordura;
  • Hidratar-se;
  • Evitar o uso de anti-inflamatórios;
  • Fazer drenagem linfática.

Seja qual for o tipo de criolipólise, é possível perceber redução de medida da área tratada já na primeira sessão. Como as células de gordura vão sendo eliminadas aos poucos pelo organismo, via sistema linfático, o resultado melhora com o passar dos dias – o efeito máximo acontece de dois a três meses depois da primeira sessão.

Se você quer perder gordura localizada e melhorar o contorno corporal, a criolipólise é o tratamento mais indicado, mas deve ser realizado por um profissional especializado para que não haja riscos à saúde. Agende sua consulta na clínica Dra. Claudia Savassi.

Fontes:

Dra. Claudia Savassi

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

Sociedade Brasileira de Dermatologia