Fale conosco pelo WhatsApp

Criolipólise funciona? Conheça o tratamento

paciente realizando procedimento de criolipolise
Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)
Por: Publicado em 24/11/2021

Procedimento é indicado para reduzir gordura localizada e pode ser realizado em diversas regiões do corpo

A palavra criolipólise significa, literalmente, “quebrar (lise) a gordura (lipo) pelo frio (crio)”. A criolipólise é um tratamento que usa baixas temperaturas para acabar com a gordura localizada. O aparelho é colocado na superfície da pele e age congelando as células de gordura (adipócitos) a temperaturas negativas para serem destruídas. A partir do momento em que elas se rompem, o corpo entende que elas não fazem mais parte do organismo e as expele naturalmente.

Criolipólise funciona? Como é feito o tratamento?

A resposta para a pergunta se criolipólise funciona é: sim. Com esse tratamento é possível reduzir medidas. Mas é importante ressaltar que a criolipólise não é um procedimento indicado para emagrecer e perder uma quantidade de peso grande.

A criolipólise funciona principalmente para aqueles casos em que a pessoa perdeu bastante peso, mas ainda tem um pouco de gordura localizada em regiões como abdômen, culote, flancos (“pneus”), braços ,costas e papada. Ou seja, a criolipólise funciona para aquela gordurinha que não se consegue eliminar com exercícios físicos e alimentação.

Para fazer o procedimento, o médico passa um gel protetor na pele da região a ser tratada e então posiciona o equipamento no local (a criolipólise atinge apenas as células de gordura da área em tratamento). Para evitar o congelamento da pele, o especialista coloca uma manta embebida em material anticongelante sobre a área.

O aparelho usado para fazer a criolipólise tem ponteiras de vários tamanhos. Elas são escolhidas conforme a quantidade de gordura que se pretende eliminar e o tamanho da área corporal que vai receber a aplicação. Por exemplo, para a região do abdômen existe uma ponteira grande, já para as costas e pneuzinhos laterais utiliza-se a ponteira menor.

Ao ser acionado, o aparelho irá sugar e resfriar a área até cerca de -7 a -10ºC por uma hora, tempo necessário para que haja congelamento das células de gordura. Após o congelamento, as células se rompem e são eliminadas naturalmente pelo organismo. A gordura que estava no interior das células é levada para o fígado, onde é metabolizada pouco a pouco, sem sobrecarregar o órgão.

A criolipólise funciona, mas pode causar dor quando o aparelho suga a pele, dando a sensação de um beliscão forte. Esse incômodo dura alguns minutos, pois as baixas temperaturas naturalmente anestesiam a pele.

A duração e a quantidade de sessões variam de acordo com a região submetida. Em caso de regiões mais amplas, indicam-se mais sessões. O tempo não é fixo e pode-se tratar mais de uma região em uma mesma sessão.

A criolipólise funciona apenas nas partes do corpo que se adaptam bem às ponteiras. Não é possível fazer o tratamento no rosto, porque o aplicador não se encaixa.

Antes e depois da criolipólise

Não é necessária uma preparação específica para a criolipólise. A pessoa pode manter sua rotina de atividades e de alimentação normal. Também não é necessário nenhum exame laboratorial para se submeter à técnica.

Além disso, a criolipólise pode ser feita em qualquer estação do ano, inclusive no verão. Mas se a ideia é que os resultados sejam notados nos meses mais quentes, o ideal é se programar antes, já que o resultado completo leva de dois a três meses para aparecer.

Após a aplicação, a pele normalmente fica vermelha e inchada. Por isso, é indicado realizar uma massagem local para aliviar o desconforto e melhorar a aparência. A região tratada pode ficar dolorida durante as primeiras horas, mas isto não causa grande desconforto.

Os resultados da criolipólise começam a surgir em cerca de duas semanas, mas são progressivos, sendo possível ver os efeitos do procedimento em até oito semanas, que é o tempo que o organismo necessita para eliminar completamente a gordura que foi congelada.

Passado esse período, o paciente é orientado a voltar ao consultório para que o médico avalie a quantidade de gordura eliminada e verifique se é necessário realizar ou não mais uma sessão. Nesse caso, deve ser respeitado o intervalo mínimo de dois meses entre uma sessão e outra.

Após a sessão de criolipólise, a quantidade de gordura no local da aplicação diminui e os tecidos adjacentes ficam intactos. Estima-se que cerca de 44% da gordura (Qual a fonte?) localizada pode ser eliminada em uma sessão de tratamento, o que significa uma perda de cerca de 4 cm nas medidas. Por esse motivo o procedimento não é recomendado para pessoas que não estão dentro do peso ideal.

Importante ressaltar que não existem sessões de manutenção. Portanto, para manter o resultado obtido deve-se evitar o ganho de peso, através da adoção de hábitos saudáveis, como manter uma dieta balanceada e praticar atividade física. 

Criolipólise funciona para flacidez e celulite?

O procedimento não é indicado para o tratamento de celulites nem de flacidez. Porém, a redução das gorduras localizadas pode minimizar a aparência indesejada na pele. Já a flacidez pode ser agravada com o procedimento.

Para quem deseja tratar a celulite, existem procedimentos que são indicados especificamente para esse fim. Um deles é o Emtone, um aparelho que utiliza radiofrequência e ondas de pressão simultaneamente.

O EMtone tem efeito profundo nos tecidos conjuntivos envolvidos no quadro de celulite e promove o aumento da produção de colágeno e elastina, estimulando a microcirculação sanguínea e a circulação linfática, diminuindo o tamanho dos lóbulos de gordura do tecido subcutâneo e melhorando a elasticidade da pele. Assim, a aparência da celulite e as ondulações da pele são suavizadas.

Quando a criolipólise é contraindicada?

A criolipólise está contraindicada para pessoas com excesso de peso, obesidade, hérnia no local a ser tratado e problemas em relação ao frio, como urticária ou crioglobulinemia, doença vascular caraterizada pela presença de proteínas anormais no sangue chamadas de crioglobulinas. Essas proteínas anormais tornam-se espessas e sólidas quando em temperaturas frias. Também não é recomendada para mulheres grávidas ou com alterações na sensibilidade da pele devido ao diabetes.

O tratamento de criolipólise funciona, mas para que os resultados sejam os esperados e não haja riscos para o paciente, ele deve ser feito com um equipamento certificado e com a manutenção em dia. Além disso, deve ser realizado apenas por um profissional capacitado e experiente nesse tipo de procedimento.

A Dra. Claudia Savassi é um dos principais nomes com experiência e domínio na técnica, garantindo segurança para o seu tratamento. Se você deseja resultados através da criolipólise, entre em contato com nosso consultório e agende uma consulta.

Fontes:

Ministério da Saúde.